WORKSHOPS

ñande I entre nós

[Seminário Latino-Americano de Design, Linguagens e Ancestralidade]

curadoria

Maria Carolina Garcia

co-curadoria 

Rosana Nakano

realização

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo​_ 

MADE_Mercado Arte Design

 

22/08/2019 [quinta-feira]

15h às 17h | Workshop Natureza Transformadora (Uruguai)

Técnicas avançadas para construção de maquetes têxteis inspiradas na flora latino-americana.

Profa. Mariana Muzi – Coordenadora do curso de Design de Moda (Universidad ORT - Montevideo, Uruguay)

Profa. Magdalena Villaró – Designer Têxtil (Universidad ORT – Montevideo, Uruguay)

 

17h | Performance Natureza Poética (França)

Pintura interativa de painel com símbolos ancestrais.

Isabelle Ribot – artista plástica

18h | DESIGNER DO ANO // SMILJAN RADIC

PROCESSOS CRIATIVOS

Chile

VISITAS GUIADAS//

17h às 18h | EDUCATIVO Stella Artois

19h às 20h | EDUCATIVO Stella Artois

23/08/2019 [sexta-feira]

15h às 17h | Workshop Natureza Poética (Brasil)

Re-criação de objetos vintage com economia circular.

Patrícia Fernandes – designer e proprietária de A menor loja do mundo

17h | Performance Natureza Poética (França)

Pintura interativa de painel com símbolos ancestrais.

Isabelle Ribot – artista plástica

TALKS//

17h | UPC - P'UKU - Sentando à mesa

VISITAS GUIADAS//

17h às 18h | EDUCATIVO Stella Artois

19h às 20h | EDUCATIVO Stella Artois

24/08/2019 [sábado]

15h às 17h | Workshop Natureza Rítmica (Chile)

 

Códigos matemáticos e literários para criação de cartela de cores

Carolina Oneto – Engenheira têxtil e artista plástica

17h | Performance Natureza Poética (França)

Pintura interativa de painel com símbolos ancestrais.

Isabelle Ribot – artista plástica

TALKS//

17h30 | AQUILO QUE ABRAÇA por Miriam Andraus Pappalardo e Renata Porto

VISITAS GUIADAS//

17h às 18h | EDUCATIVO Stella Artois

19h às 20h | EDUCATIVO Stella Artois

 

EXPOSIÇÕES

Designer do Ano - Smiljan Radic

Artista: Smiljan Radic

Curadoria: Waldick Jatobá e Bruno Simões

País: Chile

Natureza Poética = Redesign Poético de Objetos do Cotidiano Latino Americano

Artista: Isabelle Ribot

País: França

Nascida na França e baseada em São Paulo, a desenhista, pintora e escritora, Isabelle Ribot, é uma contadora de histórias multimídia. Fascinada por mapas, seu trabalho é ligado a cartografia. Nos últimos anos, retratou o Centro da cidade de São Paulo, desenhou um mapa dos rios de São Paulo como eram até o século 19 e ilustrou viagens. Pesquisa e transforma palavras em pinturas onde cores, personagens, mapas e símbolos se entrelaçam.

BVRio // Design & Madeira Sustentável

Artista: Vários

País: Brasil

Exposição Una famiglia

Design Fernando e Humberto Campana

Curadoria: Waldick Jatobá e Bruno Simões

País: Brasil

Mitsubishi: "O encontro das lendas. 
Da fotografia ao mundo 4x4."

Artista: Sebastião Salgado

País: Brasil

AQUILO QUE ABRAÇA
Joalheria Contemporânea Brasileira

Artistas: Vários

Curadoria: Miriam Andraus Pappalardo e Renata Porto

País: Brasil

 

Esta exposição foi concebida originalmente para a II Bienal Latinoamericana de Joyería Contemporánea, em 2018 na cidade de Buenos Aires, a convite de Joyeros Argentinos. Para a seleção das peças, foi feita uma convocatória aberta, direcionada a artistas brasileiros e artistas estrangeiros residentes no Brasil há, pelo menos, três anos. O tema, AQUILO QUE ABRAÇA, foi o mote e fio condutor que direcionou toda a abordagem da curadoria e edição das obras selecionadas para a exposição.


Poder juntar tantos artistas joalheiros brasileiros, de várias gerações e diferentes partes do Brasil, em uma única mostra, agora exposta em São Paulo, é uma grata oportunidade para revelar um pouco da arte-joalheria brasileira.

Exposição Origem

Artista: FLO Atelier Botânico

Exposição AMDMB

OLHAR À TERCEIRA PELE

Artista: Leo Faria

País: Brasil

Nesta exposição, Leo Faria busca pela essência do objeto e se propõe a não dicotomizar o sujeito e a obra em suas fotografias. Tomando como base que a simples percepção não revela as conexões que existem entre o objeto e seu criador, Leo traz elementos ao estímulo da atividade pensante intuitiva do público a fim de reconhecer estas conexões.

Apreciar o objeto e suas relações contextuais exige um mergulho em modo reflexivo, no qual a subjetividade – não invade o objeto com representações mentais que não dizem respeito a este, e sim – vem do próprio objeto.

Mas, como revelar a aparência que indica o caminho à verdade, e não aquela que a encobre ou oculta?

Apropriar-se das ideias do artista austríaco Hundertwasser, presente também em outros trabalhos do fotógrafo, sustenta o ponto de partida deste processo investigativo:

Ao centro de cada pessoa encontra-se seu “ser” que, ao longo da vida, vai se rodeando de camadas de significação que começam a determinar sua relação com o universo. Esta espiral do conhecimento, composta de cinco peles, conduz o humano a compartilhar uma nova percepção de corpo, repensando suas fronteiras, limites e dimensões: a primeira é a própria epiderme; seguida pelo vestuário; lar e objetos que nos rodeiam (a terceira pele); relações sociais e, finalmente; natureza e humanidade.

O ato de construir, os objetos expostos nesta 7ª edição da MADE, permitiu a cada expositor imprimir a marca específica de sua própria criatividade sobre o fragmento de tecido urbano que lhe foi confiado, seja ele madeira, cerâmica, cachaça, papel… Este tecido urbano interferido é pele de seu criador, à medida que emerge dele, do seu centro, do seu “ser”. Carrega intensamente a sua subjetividade, a sua forma de ser, receber e perceber. É resultado processual, individual ou coletivo, que teve uma fonte.

Leo considerou, então, fundamental investigar este lugar dentro do “ser” ou ao seu entorno do qual a atenção e intenção se originam: “Fale para mim sobre a relação entre este lugar interior e a sua obra?”

Tornar, por um momento, esta pele transparente e acessar a fonte, é uma oportunidade de passar a enxergar a dimensão não somente física, mas também humana dos objetos expostos.

Esta jornada investigativa envolveu mais de 100 expositores e teve a ambição de tornar a resposta um momento de autorreflexão, da qual elementos conectivos entre o objeto e seu criador se fizessem mais nítidos.

A partir daí, Leo se propôs a fotografar, durante a própria MADE, o momento perfeito entre criador e objeto, construindo uma instalação que permite ao público andar entre os criadores e acessar suas respostas. Como que brincar de estimular a intuição, à medida que se aprofunda em modo reflexivo, por entre os sujeitos em tamanho real. Um exercício de ouvir e observar. Assim, este composto foto-vídeo nos presenteia, efetivamente, com pistas às conexões entre a terceira pele e cada criador, uma espécie de “empiria delicada”, na qual o objeto não precisa ser dissecado para ser conhecido.

Será que conseguiremos ver além do que (achamos que) precisamos ver?

 

Normano Ribeiro